convite face.jpg

EVENTO ESPECIAL PRESENCIAL

XLI EVENTO DE ARTE QUARTIER (CIRANDA)

 

AVANT VERNISSAGE PRIVÉ

PALESTRA - COQUETEL

EXPOSIÇÃO FRANCISCO SOBRINO

COM  FRANCK MARLOT  (CURADOR)

DATA: 25 DE MAIO DE 2022

HORA: 19H00-22H00

GALERIA DAN

 

Um encontro, exclusivo para os membros de nossa confraria, em uma das mais importantes galerias do país.

 

Contaremos com a ilustre participação do curador francês Franck Marlot - trabalhou por mais de 20 anos com a galerista Denise René, uma das maiores marchandes europeias do século XX.

E dos proprietários da galeria, Peter Cohn, considerado um dos maiores especialistas em arte do Brasil e seu filho Flavio Cohn.

 

 

Após a apresentação da exposição, iremos nos confraternizar com um coquetel gentilmente oferecido pela galeria.

INSCRIÇÕES

 

R$ 250,00 - para Quartières Trésor (prioridade nas inscrições)

R$ 480,00 - para Quartières Avant Garde

R$ 560,00 - para Quartières e convidadas

​​Para efetuar a sua inscrição,  clique no botão abaixo:

 

Quartière Trésor  - Caso ainda não tenha seu código, entre em contato com Rita Lobo.  

Ainda não é Trésor?  Clique aqui para saber como aderir.

 

Vagas Limitadas  

O ARTISTA

 FRANCISCO SOBRINO

 

(nascimento -1932 Guadalajara - Espanha e falecimento 2014 Bernay-França) 82 anos.

Artista membro do grupo CRAV (Centre de Recherche d" Art Visuel);

Formado em 1960 em Paris, trazendo ideias e experimentos que focaram no desenvolvimento da arte cinética, baseado no estudo de fenômenos visuais e da ativa participação do expectador;

A obra de Sobrino está presente em coleções particulares e museus como por exemplo: Reina Sofia (Espanha), Fundação Peggy Guggenheim, Veneza (Italia), Museé Pompidou (França), Tate Modern (Inglaterra) e Tel Aviv Museum of Art (Israel), entre outros. 

Há um museu Francisco Sobrino na cidade natal do artista em Guadalajara - Espanha.

 

 

 

O CURADOR

FRANCK MARLOT

Franck James Marlot trabalhou por mais de 20 anos com a galerista Denise René (considerada uma das maiores marchandes europeias do século XX), especializada em arte ótica e cinética desde a década de 50. Na galeria Denise René, foi curador de exposições que revelaram artistas de destaque como Victor Vasarely, Jesus Rafael Soto, Carlos Cruz-Diez, François Morellet, Julio Le Parc e Francisco Sobrino, entre outros;

Baseando-se numa estreita relação entre artistas sul-americanos e a galeria Denise René, desenvolveu um intercâmbio com a América Latina e principalmente com o Brasil, e participou no desenvolvimento da exposição "Os Cinéticos “que teve lugar no Instituto Tomie Ohtake em 2007;

Trabalhou no Centre Pompidou, que acolheu a coleção particular de Denise René após seu falecimento;

Atualmente trabalha com artistas europeus e brasileiros realizando exposições em instituições e galerias.

Em abril de 2022 foi comissário da exposição" Post Digital" do artista francês Pascal Dombis, acolhida pelo Museu Sorocaba SP.

Está produzindo - para o Verão de 2023- uma exposição de Vasarely em espaço institucional em Nice - Côte d’ Azur;

É o curador da primeira exposição individual de Francisco Sobrino no Brasil, a realizar-se em maio na Dan Galeria, em São Paulo.

 

 

A GALERIA

A DAN Galeria foi fundada em 1972, em São Paulo, por Gláucia e Peter Cohn. Nos primeiros anos de atividade, a galeria concentrou-se na arte moderna brasileira, apresentando obras de importantes artistas do movimento modernista de 1920, tais como Di Cavalcanti, Antonio Gomide, Ismael Nery, Tarsila do Amaral entre outros. Ainda nos primeiros anos de funcionamento, artistas como Alfredo Volpi, Cícero Dias, Antonio Bandeira e Yolanda Mohalyi foram incorporados ao grupo representado pela galeria que, ao longo das últimas décadas, expandiu-se também para a produção internacional e para a arte contemporânea.

 

O departamento de arte contemporânea foi criado em 1985 por Flávio Cohn, filho do casal fundador. Posteriormente, seu irmão Ulisses Cohn também se associou ao quadro de direção da DAN. Juntando pesquisa histórica e sintonia com o mercado internacional, nos últimos vinte anos a galeria exibiu obras de Lygia Clark, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Gonçalo Ivo, Ascânio MMM, Macaparana, Sérgio Fingermann e artistas internacionais como Sol LeWitt, Antoni Tapies, Jesus Soto, Cesar Paternosto, Eduardo Stupía, Adolfo Estrada, Knopp Ferro, Ian Davenport, Max Bill, Joseph Albers, além dos britânicos Tony Cragg, Kenneth Martin e Mary Martin.

 

A DAN Galeria sempre teve por propósito destacar artistas e movimentos fundamentais da arte brasileira do período compreendido entre 1920 e a atualidade. Ao mesmo tempo, mantém uma relação próxima com artistas internacionais, uma vez que os movimentos artísticos historicamente se entrelaçam e dialogam entre si sem fronteiras.

 

Expor estes entrelaçamentos, realçando a invenção de seus artistas e os possíveis diálogos com a produção internacional, é o mote do trabalho da nas feiras nacionais e internacionais, nas exposições na galeria, no apoio a exposições institucionais e na produção de conteúdo, seja nos mais de 100 catálogos já publicados, seja usando tecnologias digitais.