Dante e o eterno feminino (sétimo bloco)

ARTS QA, POR CARLOS RUSSO

Dante e o eterno feminino.

Bloco 7/8

Nestes três versos está todo o romance eterno do Amor tal qual se apresenta à mulher: Amor que o coração rapidamente prende a si, Amor que a amado algum dispensa, Amor que a somente juntos a morte pode carregar.

Pois aqueles dois estão “colados” e se amam por toda a Eternidade, não porque estejam danados no Inferno, mas precisamente porque foram condenados por Amor. Eles jamais poderiam estar num etéreo Paraíso, pois somente no Inferno o que é terrestre, dantesco, permanece imutável!

Pois os pecadores de Dante, habitantes do Inferno, conservam as mesmas paixões, impenitentes, embora condenados; carregam todas as suas qualidades e paixões, por isso Francesca amou, ama e amará e não afastará de seu coração esse Paolo.

“...Eterno... martir...sottera...oimé...ne aspeta! Paolo eterno fia Il nostro amoré.”

Eternal amor, eternidade de martírio, o pecado praticado (a traição ao marido ao qual fora forçada a se ligar) o poeta o lança à sombra. O pecado do sexo é o ponto alto da tragédia, mas é um pecado que está entranhado na própria alma dos amantes! E por coexistirem nas almas amor, pecado e culpa, eles não podem se destruir ou excluir. Se destruirmos a consciência do pecado teremos destruído Francesca de Dante!

(Continua na próxima semana)



Posts Em Destaque
Teremos posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags