Salvador Dali


ARTS QA – PELA CURADORA ADRIANA REDE

SÉRIE O ARTISTA EM ATOS

BLOCO 01-04

Salvador Dalí é o nosso segundo artista retratado na série “20 Atos”. De Caravaggio, nascido no século 16, damos um salto, para explorarmos as histórias saborosas de um dos artistas mais excêntricos e importantes das Vanguardas Artísticas do século XX. Dalí, inconfundível por seus bigodes alongados e pontiagudos, foi uma das figuras mais proeminentes, junto com André Breton, do Surrealismo, corrente das artes plásticas que soma a liberdade de pensamento, o onírico, a valorização do inconsciente, a fantasia e o impulso.


1 - Nascido em Figueres na Espanha em 1904, Salvador Felipe Jacinto Dalí Y Domènech teve uma vida agitada e com detalhes tão insanos quanto sua própria personalidade. Foi considerado pelos pais a reencarnação do irmão falecido. A família sofreu com a morte de um dos filhos, com menos de dois anos de idade. Exatamente nove meses depois, nascia o Dalí que conhecemos. Seus pais, deram-lhe o mesmo nome e passaram a considerá-lo a reencarnação do filho falecido.

2 - Precoce. Dalí pintou uma de suas primeiras obras conhecidas, Paisagem de Figueres, em 1910, com apenas 6 anos. O trabalho, óleo sobre cartão postal, está hoje no Museu Salvador Dalí, na Flórida. A primeira exposição de seus quadros em público ocorreu em 1919, quando tinha dezesseis anos. Com o apoio da família, que era próspera e culta, e o mimava bastante, realizou a exposição no Teatro Municipal de Figueres (hoje Teatro-Museu Gala Salvador Dalí).

3 - Formação. Diante da proeza do rapaz, seu pai o mandou para Madrid, para que se formasse como pintor de qualidade. Estudou na Academia Real de Belas Artes. Conheceu Luiz Bunuel e Federico Garcia Lorca na residência dos estudantes. Dizem que houve um triângulo amoroso entre eles ou pelo menos entre Dalí e Lorca, com quem trocava correspondências “apimentadas”.

Foi expulso duas vezes e não se formou, pois julgava ser melhor que os professores.


4 - Década de Ouro. Os anos 1930 foram o apogeu do desenvolvimento das Vanguardas Europeias, e no caso de Dalí, foi o ápice em qualidade e reconhecimento de seu trabalho. Envolto em um círculo de amigos artistas, foi nesse período que Salvador teve suas principais exposições em galerias, além de vendas de quadros por valores estratosféricos. Foi nesse momento em que criou o seu método crítico-paranoico, em que mesclava realidade e sonho na produção de imagens.

5 - Obra “A Persistência da Memória". A pintura, de 1931, é a mais famosa de sua carreira. Alguns julgam que foi criada durante um sonho do artista. Quando questionado sobre seu significado, Dalí afirmou que sua inspiração foi um queijo Camembert derretendo ao sol.






SALVADOR DALI

A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA (SALVADOR DALI, 1931)

BUÑUEL, FREDERICO GARCIA LORCA E DALI



BLOCO 02-04

6 - Gala, a musa. Em 1929, ocorreu algo que mudaria a vida de Dalí para sempre: recebeu um casal de amigos em sua casa em Cadaqués, o famoso poeta francês Paul Éluard e Helena Ivanovna Diakonova, uma imigrante russa. O inesperado é que nessa estadia, Helena, conhecida pelo apelido Gala, e Salvador se apaixonaram e, desde aquele momento, não mais se separaram.

7 - O casamento. Os dois se casaram em 1934, vivendo juntos mais de 50 anos, até a morte da mulher em 1987. Gala foi a mais importante musa de Dalí, e parceira de suas aventuras artísticas, além de trabalhar com a curadoria de seu acervo.

8 - Dali fascista? Em geral, os grupos surrealistas estavam ligados à luta da esquerda, muitos deles flertando com o comunismo, como André Breton. No início de sua carreira, Dalí gostava dessas ideais, de maneira romantizada, mas com o tempo, foi se tornando mais reacionário, chegando a ponto de já ter defendido a monarquia e apoiado o ditador Franco. Morou na Itália fascista por vontade própria. Além disso, tinha uma bizarra fissura por Hitler. Uma obra po-lêmica do tema é "Hitler Masturbating" (em tradução livre, "Hitler se masturbando"), feita em 1973.

9 - Expulsão. Dalí foi expulso do grupo formado pelos Surrealistas da Europa, em 1934, e considerado desertor do movimento. Além das ligações com o fascismo, ele também era aberto à lógica de mercado, vendendo várias artes para empresas americanas criarem logotipos. Dalí foi então apelidado por Breton de Avida Dollars (um anagrama de seu nome com tom pejorativo), segundo Salvador, por inveja.

10 - Fashion Designer. Dalí amava moda. Ele trabalhou em colaboração com a designer italiana Elsa Schiaparelli, que criou projetos baseados em suas obras de arte. Em particular, seu Aphrodisiac Lobster Telephone foi uma inspiração, e eles trabalharam em um vestido de lagosta para Wallis Simpson, Duquesa de Windsor, na década de 1930. Em 1950, colaborou com o amigo próximo Christian Dior. Ele também criou um chapéu em forma de sapato e de-senhou e produziu várias capas de revistas, inclusive para a Vogue.

Na próxima semana mais facetas do artista!


GALA E DALI, 1954

LOBSTER TELEPHONE, 1936

CHAPÉU-SAPATO, 1937



Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon

Q u a r t i e r   d e s   A r t s 

c o n f r a r i a  c u l t u r a l